Projeto Libolo

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Conforme previsto e noticiado neste espaço, está desde o dia 6 de Julho no Libolo uma equipa internacional de investigadores nas áreas da linguística, ensino e formação de docentes, história e antropologia, com o objectivo de realizar trabalho de campo de recolha de informação para futura produção científica nestas áreas.
A equipa tem cumprido um intenso programa de trabalhos que se prolongarão até ao próximo dia 5 de Agosto, embora a maior parte dos seus elementos termine a sua colaboração até à próxima segunda-feira, dia 29 de Julho.
 

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O Libolo prepara-se para receber no próximo mês de Julho uma grande equipa internacional de 15 investigadores nas áreas da linguística, ensino e formação de docentes, história e antropologia, dando continuidade a um projecto de investigação iniciado em 2011 pelo ilustre calulense Prof. Dr. Carlos Figueiredo.

Este projecto, vinculado à Administração Municipal do Libolo e com patrocínio da empresa Global Seguros, transformará durante algum tempo Calulo na capital angolana da investigação científica.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Conforme noticiámos há cerca de um ano, o Sr. Prof. Dr. Carlos Figueiredo, desenvolveu no Libolo um trabalho de campo na área da Linguística, no âmbito de um projecto internacional de investigação sobre “Línguas semi-crioulas de base portuguesa” (ver  aqui  a notícia). Para o trabalho de campo contou com a prestimosa colaboração do seu irmão Rui Figueiredo, que lhe forneceu o apoio logístico para se poder deslocar a todas as comunas do Libolo.
 

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

No próximo mês de Junho vai estar em Calulo um ilustre filho da terra, o Prof. Dr. Carlos Figueiredo*, para desenvolver um trabalho de campo na área da Linguística, no âmbito de um projecto internacional de investigação sobre “Línguas semi-crioulas de base portuguesa”, no qual este prestigiado investigador da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade de Macau tem estado envolvido de alguns anos a esta parte.
O português falado no Libolo, influenciado por características geográficas e sociológicas muito próprias, a que não é alheio o seu passado histórico de resistência à ocupação portuguesa, poderá assim vir a constituir-se como uma das peças-chave para a compreensão da aquisição, reestruturação e preservação das línguas crioulas e semi-crioulas afro-portuguesas.

FOTOS DIVERSAS

PATROCINADORES DO PROJETO

LANÇAMENTO DO SITE "SLB Libolo Heritage"